Teoria básica – parafusos

O parafuso é talvez o componente mais encontrado nas motocicletas. Apesar de sua simplicidade sem eles a moto seria somente um amontoado de peças.
Existem diversos tipos roscas diferentes. Nas motos, geralmente a rosca utilizada é conforme a norma ISO e é chamada rosca métrica. Existem dois tipos de roscas métricas: fina e grossa.

A rosca também pode ser direita ou esquerda, isto é, ter sentidos de aperto diferente. Um parafuso de rosca direita quando girado no sentido horário está sendo apertado, o de rosca esquerda, o contrário. Raramente é utilizado um parafuso de rosca esquerda. Nas motos, devido ao sentido de rotação do magneto, uma porca de rosca direita poderia se afrouxar. Neste caso é utilizado rosca esquerda. Um outro exemplo são os espelhos retrovisores ou os pedais de bicicleta onde um lado a rosca é direita e o outro a rosca é esquerda. Deste modo a tendência da peça é se manter apertada.
As roscas métricas são designadas pelo seu diâmetro. Por exemplo, uma rosca métrica grossa com o diâmetro de 6mm é uma rosca M6. Caso o parafuso seja de rosca fina devemos informar o passo da rosca que é a distância que o parafuso avança em uma volta. Neste caso a designação seria M6x0,75

O material que o parafuso é feito vem estampado na sua cabeça na forma de um código de dois números no formato XX.Y. Por exemplo, 5.8, 8.8 ou 12.9. Saber conhecer esse código é importante por dar uma boa idéia da resistência do parafuso e para determinar o torque de aperto máximo. O primeiro número (XX) multiplicado por 10 diz o limite de resistência à tração do parafuso e o segundo número (Y) multiplicado por (XX) o limite de escoamento. Por exemplo, um parafuso 12.9 possui 120kgf/mm² de resistência e 108kgf/mm² de limite de escoamento. Complicado?

Aperto dos parafusos.

Os fabricantes divulgam no manual de oficina o torque de aperto para todos os parafusos de cada moto. Com o aperto excessivo podemos: espanar os fios da rosca, quebrar o parafuso, empenar a peça que está sendo fixada e esmagar a junta causando vazamento e outros problemas que podem surgir mais tarde. Do mesmo modo um aperto insuficiente pode provocar: vazamentos, fazer o parafuso se perder ou causar desalinhamento em peças ou componentes.

Somente com uma ferramenta chamada torquímetro, conseguimos medir o aperto dado em cada parafuso. Para a grande maioria dos serviços executados nas motos um torquímetro de vareta com escala até 120Nm é suficiente e não custa muito caro. (1kgf.m=10Nm)

Chave
Sextavada
(mm)
RoscaTorque
(especificação
para parafusos
gerais - N.m)
8M54-8
8M66-10
10M66-10
12M815-25
13M815-25
14 a 17M1030-40
17 a 19M1240-55
19 a 22M1475-90
26M1758-70
27M1858-70
30M2070-83

Chave
Allen
(mm)
RoscaTorque
(especificação
para parafusos
gerais - N.m)
5M66-10
6M815-25
8M1030-40
12M1240-55

Torque de Aperto de cabeçote

MotoAperto
(N.m
XL125S18
20 (porcas)
NX15029
XLX250R47 a 53
Sahara12
XLX350R12
DT18025
DT20022
XT60020 (porcas)
25 (parafusos)
SXT 16,520 a 22
SXT 27,5/30,035 a 36

Deve-se lembrar sempre de que ao desmontar ou montar componentes deve-se sempre procurar apertar ou desapertar os parafusos de maneira alternada (em cruz) para evitar empenar a peça ou sobrecarregar algum parafuso.

Fonte: endurohp.eng.br

Participe! Deixe seu comentário.

*